Existe significância por trás das visões de aranha no Inimigo?

17

Há muitas visões estranhas sobre as aranhas no Inimigo (2013) e Eu queria saber se isso significou algo sobre o personagem?

    
por Inv3r53 21.04.2014 / 02:21

2 respostas

12
Duas teorias são oferecidas pelo escritor Slate Forrest Wickman em um artigo sobre o final, e (mais a sua pergunta) pela atriz Sarah Gadon em entrevista ao Hollywood Reporter.

Forrest Wickman (ângulo totalitário) :

...Ultimately it's a parable about what it’s like to live under a totalitarian state without knowing it. It’s an Invasion of the Body Snatchers movie in which you don’t even realize it’s an Invasion of the Body Snatchers movie until the end—until it’s too late for our hero. In this case, the body snatchers just happen to be giant spiders.

Sarah Gadon (ângulo de intimidade feminina) :

"I think the spider[s are] a sign of his fear of female intimacy; it's a physical manifestation of his fear of female intimacy."

(O resto desta resposta é teoria pessoal e especulação.)

Eu acho que ambas as teorias estão corretas e funcionam bem juntas. Gosto particularmente do medo da teoria da intimidade e iria mais longe: Adam é um personagem oprimido, subtilmente misógino ao qual é atraído, mas também subconscientemente repelido e ressentido com as mulheres, deixando de compreendê-las. Quando ele sonha / vê aranhas é uma expressão de sua visão oblíqua de uma espécie (ou, em geral, de um mundo), ele não "pega".

Além disso:

Acredito que após a primeira cena do filme, as cenas de aranha são sonhos: uma mulher com uma cabeça de aranha, uma aranha da cidade de Dali e, finalmente, a transformação de esposa-como-aranha. Cada sonho é de Adam, e cada um é mais longo e menos distintamente um sonho - é mais difícil dizer quando um começa ou termina. Quanto mais surreal a vida de Adam se torna, menos importa se ele está sonhando em tudo. Além disso, enquanto a última cena em edição é a transformação de esposa-aranha, acredito que a última cena real da narrativa é a primeira cena do filme. Acredito que estamos vendo Adam indo ao clube de sexo com seu porteiro em um piscar de olhos para frente. Ele é um regular lá agora. Ele assumiu completamente a vida de seu clone, usa a aliança e o relógio de pulso de seu clone, e como uma fuga assiste a esses shows sexuais como seu clone ... Adam é tão profundo no surreal que nem ele nem nós podemos saber se ele está mais sonhando. Até agora, isso não importa.

    
24.04.2014 / 07:25
6

Para mim, parece claro que não há uma interpretação específica, mas sim uma peça de quebra-cabeça que cada indivíduo entenderá de uma maneira diferente, dependendo de como reagem emocionalmente ao filme.

Aqui está um trecho de uma entrevista com o diretor , Denis Villeneuve, que explica isso é exatamente o que a imagem deve fazer.

Can you talk about the imagery of the spider and what that represented for you?

The spider is a very precise image. The Double is a very complex, yet very simple story that is expressed in a very complicated way. There were some elements in the book that took 45 pages to express, and I said to myself, I cannot have the luxury to take 45 minutes to express such an idea, I need one image, a strong image. I always love when filmmakers are trying to express ideas with images that are beyond words, and the spider was a perfect image I found.

What I love about this image is that I think it’s a very strong and poetic image, but I liked the fact that you can understand it with your own sensibility. You can understand it, but it’s an understanding from inside yourself, not from an intellectual point of view, but more from what you feel as you see the image. I like to leave the audience free of interpretation, because for me, the pleasure of Enemy is an enigma. It’s really a puzzle and it’s designed in a playful way to play with the audience. So if I give the key from the start, it’s a bit boring. I love to leave the audience free of their own interpretation, but all the keys to understand the image are in this story.

    
09.02.2017 / 17:29